Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sobre noivas: Eu não gostei do vestido da Kate #prontofalei

É c-l-a-r-o que o vestido estava bonito, é claro que ela estava linda, é claro que foi tudo maravilhoso, é claro que o casamento foi de manhã, mas, também é claro (na verdade não tão claro assim) que se tratava do casamento da futura rainha da Inglaterra. Eu esperava dela menos “bom gosto”e discrição, e mais extravagância, como as princesas e rainhas de contos de fadas.  Linda, magnífica, mas não inesquecível, como uma princesa no dia do seu casamento deve ser. Ou melhor, como toda noiva deve ser, a futura rainha, então, nem se fala!

Tanto alvoroço para ela dar uma de moça fina do tipo “eu queria uma comemoração íntima”? Poxa, todos aqueles chapéus e roupas horrorosas da realeza –que mau gosto, minha gente- causaram mais frisson do que ela! Não duvido nada que a rainha-mãe vestida de pintinho de galinha tenha sido mais comentada.

Sabe, eu fiquei decepcionada porque achei tudo lindo no vestido dela, mas não achei que tinha nada de “mais”. Nem o véu, nem a calda, nem o vestido, nem a renda, nem as jóias. A tal da tiara que o Cartier fez mal dava podia ser vista. Eu se fosse ele estaria me chacoalhando de raiva no túmulo. Tantos diamantes escondidos atrás de um topete e do cabelo, sem graça, solto. Ah, sim, para segurar o véu. E, que véu sem graça. Os 2,70 m não me impressionaram em nada! A véia rainha-mãe fez muito melhor em 1947, quando cobriu o tapeta da Abadia de Westminster com um véu lindo-maravilhoso todo de renda. Isso sim é véu de princesa. Sorry.

E o buquê? Achei bem mixuruca aquele buquê. Impossível não lembrar da Diana. Ok, ela parecia um merengue. Mas que merengue! Vale lembrar que ela tinha toda a licença poética do universo e dos contos de fadas para se vestir como bem entendesse no casamento, afinal, foi de gata borralheira a princesa E nos anos 80 (81, mais precisamente). Em minha opinião, isso sim é uma calda e um buquê de princesa!

Pricesa era a divina Grace Kelly. Sem palavras, Grace para mim tem a beleza de uma princesa e também é “classuda”como uma deve ser.

Para terminar, seja o vestido da noiva como for, ou o véu, ou a calda, ou sei lá o quê... Achei esse comercial aqui um miniconto de fadas da vida real! Muito fofo, e uma história que poderia fazer parte do dia do casamento de qualquer mulher!


Um comentário:

Govinda-vallabhi dasi disse...

É por isso que eu vou casar de sari vermelho... uahuahauhauhauha

Desculpe, não podia perder a piada.